Quem sou eu

Minha foto
Piracicaba, SP, Brazil
Sou casada, tenho um filho, amo viver, adoro trabalhos manuais, música, filmes, antiguidades etc.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Agenda financeira











    De alguns anos para cá, decidi levar uma vida financeira mais saudável, digamos assim.
    E de  lá para cá, venho tentando desenvolver um meio eficiente de controlá-la.
   Um dos passos mais importantes (e difíceis) foi abandonar, definitivamente, o cheque especial.
    Aquilo era uma bola de neve e um maneira muito cômoda de usar um dinheiro que eu não tinha.
    Depois de algumas tentativas mal sucedidas, consegui abandoná-lo e passei a valorizar muito mais meu salário, sempre me lembrando que muito ou pouco, foi com ele que consegui muitas coisas na vida. E foi com essa espécie de gratidão pela minha carreira e meu emprego, que comecei a tratar melhor do meu dinheiro.
    E, admito, não sou, ainda hoje, nenhuma perfeição, mas estou melhorando muito.
    Fui percebendo que o melhor jeito foi usar a mesma técnica que minha vó Isabel usava: marcar TUDO que gasto.
    Há dois ou três anos criei uma agenda financeira e esta é a versão 2015, melhorada e bem detalhada.
   Anoto o que gasto comprando com o cartão de débito e vou consultando o saldo semanalmente: ele tem que bater.
    Marco tudinho que gasto com o cartão de crédito, todas as parcelas e seus vencimentos.
    Se uso dinheiro vivo, também marco. Comprei uma água de R$ 2,00? Tá lá.
    As contas do mês também estão nessa mesma agenda.
   Já tentei usar planilha do Excel mas, fala sério, acho bem mais fácil abrir essa agenda que fica na minha mesa e posso usar a qualquer hora, rapidinho, do que parar o que estou fazendo e abrir o programa no PC.
    Tento sempre fazer capas alegrinhas para agenda tão sisuda e neste ano usei esse tecido lindinho, lindinho. Além do mais, acrescentei alças, pois durante a semana ela fica no meu trabalho e aos fins de semana, vai prá casa comigo. 





sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Colcha de bebê: o prazer de costurar para quem ainda vai chegar











     Esta é a mais nova colchinha de bebê que fiz. Seu dono está prestes a chegar, é o Victor, neto de uma amiga.
     Usei como tecido principal este importado de fundo azul-marinho, estampado com brinquedos antigos. Essa combinação de cores me encanta e fui tentando segui-la, fazendo os cataventos em tecidos nacionais nos mesmos tons.
     Vocês reparam que eles são soltinhos, como bandeirinhas? Achei esse bloco numa revista Manequim de 10 anos atrás, guardada especialmente por causa dele.
     A colcha exibida na revista tem pouco a ver com esta, mas os cataventos soltinhos foram tirados de lá.
     Adorei o fato de ser uma colcha para bebê mas trazer tons mais fortes: acho que ficou bem alegre, como espero que seja a vida do pequeno que chega agora, desejado e querido por muitos.
Bem vindo!!!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Tutorial: uma ótima ideia!

Sabe aquele rolo de papel de máquina de calcular ou de banco? Ei-lo aqui.

Como eu não tinha um suporte, usei uma lata e uma caneta para improvisar um

E deu muito certo! O papel desenrola bem facilmente.

Mantendo uma certa distância, desenrole o papel até a máquina de costura

Vá costurando as tiras, colocando direito com direito

Vá abrindo as tiras e sempre colocando mais uma, costurando sempre
direito com direito

Quando estiver no tamanho desejado, rasgue a
tira de papel e passe os tecidos

Vire ao avesso e...

Corte as sobras, deixando exatamente do tamanho da tira de papel
(a minha tira tem 9cm de largura).
Em seguida, vá rasgando o papel costurado: é fácil e divertido.

E ela fica assim, bem retinha, pronta a ser usada
em muuuuitos projetos.

O duro é que vicia e faz uma certa bagunça pois é legal manter
os retalhinhos todos por perto, prá ir escolhendo livremente
e não esquecer de ninguém


A ideia não é minha: vi num blog americano e me espantei com a facilidade e praticidade. É daquelas coisas: "como não pensei nisso antes???"
Sabe aqueles retalhinhos sem fim que vamos acumulando? Nem tão grandes que  dá para usá-los num projeto e nem tão pequenos que podem ir ao lixo, eles vão se multiplicando e parecem mesmo ter vida e família própria.  
Pois esta ideia é uma forma excelente de ir aproveitando todos eles. Nem que não seja para se usar as tiras de imediato, podemos apenas costurá-los e assim guardá-los bem arrumadinhos.
Quando vi a ideia, fiquei doida para executá-la. Mas, onde conseguir o rolo de papel? Pensei em comprá-lo numa livraria, mas achei que teria que desembolsar um dinheiro maior do que eu desejaria.
E não é que antes de ir à livraria fui até um bazar e encontrei caixas e caixas de bobinas de um banco, que foram doadas? Comprei 3 por R$ 5,00 e sai toda animadinha para costurar. 













sábado, 14 de fevereiro de 2015

Retrospectiva e retorno









Este post é especialmente dirigido às pessoas que adoram ver fotos. Olhem quantas!!!
Pensei que uma boa forma de retomar minhas atividades "costurísticas" seria ver o que fiz no ano passado e me animar.
Vi que até que produzi bastante coisa e imediatamente fui tomada pela lembrança do prazer que cada uma delas me despertou. E a hora de tirar as fotos, então? Adoro!
Dessa forma, e lentamente, vou voltando a achar graça nas coisas e sentindo o quanto costurar me faz bem. O quanto ser útil e produzir algo com minhas mãos me estimula. E me faz querer fazer melhor, estudar cada costura apenas pelo prazer, sem qualquer obrigação com a perfeição. É só pelo prazer de fazer algo bem feito e bonito.
Então, amigas que ainda não desistiram de mim, "i'm back"!!!!"





Eu recomendo

Eu recomendo

costureiras de Tarsila

costureiras de Tarsila

Obrigada pela visita! Volte sempre!

Gentileza Gera Gentileza